segunda-feira, 10 de março de 2008

...

Não gosto da calmaria. Não consigo ser bege. Quero uma explosão de cores, sensações, gostos e cheiros. E foi você quem descobriu o meu lado mais colorido. Você que já foi intenso, apaixonado e muito corajoso pra me mostrar que uma vida sem cor não tem graça. Não posso mensurar, mas imagino e vi de perto, a sua dor, sofrimento e tudo o que te transformou em quem você é hoje. Ou como está hoje e pensa que, simplesmente, é (mas eu não acredito). Comigo acho que foi diferente. Tudo de ruim que eu vi você viver e depois o que eu vivi, junto com você, me fizeram alguém que acredita ainda mais no amor. E que sabe o quanto é bom ter alguém com quem contar de verdade.
E foram nesses momentos, os piores que já vivemos, que eu descobri quem você é. Que a sua alma é pura e que você não mede esforços para ajudar quem ama. Mas você é um só. E seu coração cansou, eu sei. Tudo bem, você pode ter sofrido, se fechado, mudado os seus conceitos e prioridades. Mas mesmo com o coração cansado, você continua sendo aquele cara. Você ainda é aquele cara que gritou numa rodoviária lotada que eu era a mulher da sua vida e que me mostrou que a gente tem que se entregar quando sente uma coisa bonita. Vai ver esse cara taí, perdido dentro de você. E não é por mim que você precisa encontrar esse cara, mas por você. Você merece e as outras pessoas que aparecerem na sua vida merecem também.
Agora, eu sei onde gosto de estar. Não sei banalizar o amor. Eu quero ser tomada inteira por ele. Não gosto de estar na superfície. Não sei inventar paixão. Não me contento com pouco. E não me dou bem com pessoas descartáveis. Também não quero ser descartável. E eu sei que não vale a pena tentar a todo custo preencher um espaço que ainda não está vazio dentro da gente.
O meu coração precisa de tempo. De oxigênio. E de uma boa dose de adrenalina. Porque eu acredito. Acredito em segundo amor. E quero sentir de novo o que já senti por você. Quero alguém que me deixe louca, boba e irremediavelmente feliz. Alguém imperfeito, mas perfeito pra mim. Que tenha força pra dividir comigo o peso de um amor de verdade. Que não tenha medo de sentir. Que saiba que eu sou complicada e teimosa, mas tenho coragem de me mostrar e dar a cara a tapa. É isso. O que eu quero é coragem. Por que mesmo machucada ainda tenho coragem de amar assim. Infinitamente. Sem medo.
E quando ele chegar quero estar inteira. Não sei me dar em pedaços. Já tentei e não dá mesmo. A verdade agora é que eu não sei o quanto consigo ser inteira de novo. Eu não sei o que esse pedacinho de você ainda faz aqui. E nem que lugar ele ocupa. E também já me cansei de tentar entender. Mas sei que eu sou grande. E eu tenho essa mania insuportável de acreditar que o meu coração é maior do que eu.

4 comentários:

Eugênia disse...

Lindo!!!!
lindo!!!!
emocionante...

Renata disse...

Ah, Mari.. eu pensei em tanta coisa pra dizer enquanto lia, e agora que acabou eu nem sei o que dizer. Sei que me vi aí nas suas palavras. E só.
Lindo.
Beijo.

Tatiana disse...

Ai que lindooooooooooo...
torço por vc sempre!
te amuuuu!

Alex disse...

Por isso que eu gosto de ler o que você escreve... você sempre me surpreende!!! "Reuna cacos e faça um novo vaso!!!" rsrsrs É você mesmo! Além de ser um recado para todos que se aventuram a se perder:... não importa o rumo, o que importa é a aventura!!! Até... vou ver se me perco agora!!hahaha