quinta-feira, 14 de maio de 2009

... será que chegou a hora de ficar mal acostumada?...

Eu não sou normal. Não posso ser. E depois do que estou prestes a escrever todos vão me achar louca de hospício. A verdade é que muitas vezes eu penso que a felicidade não é para mim. Lá estava eu, acostumada a matar um leão por dia, a sofrer por amores impossíveis, borrar o travesseiro com lápis preto e acordar com cara de panda todos os finais de semana. Aí você aparece, começa a facilitar as coisas pra mim e acaba com a aquela angústia constante que morava dentro de mim. E agora? O que eu faço? Pra que lado eu vou? Cadê todas as dificuldades e complicações que eu estou acostumada? Então eu não preciso mais ter medo de ser feliz? Não preciso mais esquecer de mim pra cuidar de alguém? Calma lá, assim eu me perco e a situação sai totalmente do meu controle
Quando eu penso que as coisas não estão tão bem assim, que é impressão minha, você vem e me acorda com uma mensagem bonita. Me diz o que eu quero ouvir antes mesmo que eu pense. Me mostra que eu sou importante sem que eu precise te lembrar o tempo todo. E depois ainda me fala que eu posso ficar mal acostumada porque você não vai mudar.
Peraí, como é que eu vou aprender a lidar com essa realidade? Como é que eu faço pra viver sem o “apesar de”, sem o “mas”? Com você não existe isso. Você me faz feliz e ponto. O “apesar de” não cabe nesta frase. Facilidade e leveza nunca foram a minha especialidade, essa é a verdade. Por isso, me tornei um fracasso como escritora. Parece que felicidade não traz inspiração. Estabilidade não rende poesia. Meus textos sempre acabam se transformando numa baboseira romântica irritante.
A felicidade me faz ser criança, achar graça em tudo me sentindo a pessoa mais sortuda do mundo. Aí, pra ser sincera, tenho um pouco de pena das outras pessoas. Às vezes me sinto mal em esfregar minha vidinha cor-de-rosa na cara de todo mundo. Parece maldade da minha parte. E tem mais, sou egoísta. A felicidade é minha e eu não quero dividir com muitas pessoas. Na maioria das vezes que dividi algum momento feliz com as pessoas não deu certo. Parece estranho falar que é possível ficar feliz num mundo onde tudo é de mentira, as pessoas passam seus dias com medo de sofrer e raiva da felicidade alheia. Mais estranho ainda é o fato de que eu tenho insônia porque não preciso me preocupar.
Acho que junto com a felicidade vem uma preguiça incontrolável. Uma vontade de ficar ali, parada, sem se mexer para não fazer alguma besteira e desandar tudo. Sempre achei que as melhores músicas e as melhores poesias são as tristes. É impossível criar versos geniais estando simplesmente feliz. Quer música mais estúpida do que "Ilariê"?

O que eu poderia imaginar de melhor já está aqui do meu lado, então não preciso mais querer, nem criar nada. É, você me transformou numa menina mimada, preguiçosa, mal-acostumada e extremamente irritante. Desculpem-me todos, mas eu tô adorando.

6 comentários:

Delcio disse...

Ah linda ...
se para ser uma ótima escritora precisa sofrer para inspirar, no q depender de mim, você nunca terá essa inspiração.

É um cor de rosa mais puxado pro vermelho, não ? rsrsrs

Ahhhh estamos nessa vida para sermos provados e não infelizes. Se com todas as dificuldades conseguimos ter felicidade é porque somos foda !!!!

Uma coisa, eu prefiro comerciais de margarina a avisos do Ministério da Saúde rsrsrs

Tinha mais um monte de coisa a falar, mas deixa pra depois, afinal vc já está mal-acostumada rsrsr

Bjssss

Ivana disse...

Mari, não conhecia teu blog. Vi no twitter. Adorei. Bjo

♥ Janinha ♥ disse...

Ahhhh ficar mal acostumada é tudo de bom!!!

Parabens pela "falta de inspiração"! rs

O texto esta lindo!


Bjokonas

Rafael disse...

Bom, eu escrevo melhor quando estou feliz.
Ou melhor, o que escrevo independe do meu estado emocional.
Dificilmente derramo minhas angústias ou prazeres nos textos...
bjs

Diii disse...

ahhh.. sabe q comecei a ser mal acostumada tb? baumdemaissssss!!!! \o/

Pés Virados disse...

Simplesmente achei o texto lindo... Sem palavras! Quem dera todas as pessoas se sentissem assim... Com certeza haveria menos cara feia nos nossos dias! A felicidade não precisa ser escancarada, apenas cuidada... Um beijo e parabéns!