segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

O fato é que eu preciso de limites. Enquanto você quer, pirar, enlouquecer e fazer tudo o que dá na telha, eu não passo de uma criança que precisa de limites. E eu preciso. Preciso de amigos chatos, de namorados ou de pais ciumentos que saibam exatamente onde estão os meus limites. E me parem.
Às vezes eu preciso de um breque. Por que senão eu vou. E só páro quando eu der com a cara em uma parede. Daí dá um trabalho. Pegar todos os pedacinhos espalhados no chão e colar. Um por um. E nunca fica igual antes. Todas às vezes que me quebro, tem sempre um pedacinho que insiste em sair do lugar e me incomodar. E é aí que eu vejo que preciso de alguém que me pare. Por que ninguém precisa quebrar a cara sempre.
Eu sou assim. Estranha. Louca. Impulsiva. E livre. Liberdade pra mim é isso. É poder ser todas as pessoas que eu quiser. É me aceitar. Respeitar também tudo aquilo o que eu não gosto em mim. É ser livre pra entender que eu tenho fases. E que às vezes eu simplesmente preciso de limites. De alguém que cuide de mim. Que me proteja. E que me ensine. Dá licença? Eu posso.

3 comentários:

Tatiana disse...

ai amigaaaa...eu te entendo...
sou assim mas limite tb me irrita...rs

te amo bjos

Diii disse...

Oieeee....

É bem vc mesmoooooo!!!
Rsrsrsrs.... adoreiiiii!!

BjOOO

juliana disse...

Querida, mais um texto lindo! Limites...quem pode dizer onde eles começam e onde terminam? Bjos! E passa o meu blog, q tem textinho novo lá tb!